UM NOVO PRÊMIO

A preocupação da FPT Industrial com o ambiente é novamente reconhecida, o que confirma a atenção da empresa com o futuro do planeta. Desta vez, o prêmio chega do Brasil, onde a marca realizou um estudo sobre o óleo API CJ-4. Este estudo nos permitiu vencer o Prêmio AEA de Meio Ambiente, na categoria "Tecnologia", uma iniciativa da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva.


O estudo envolveu os engenheiros do Technical Center Betim em parceria com Petronas. Este óleo, introduzido no mercado latino-americano, é usado nos motores a diesel de baixo teor de enxofre, preferidos por sua durabilidade e desempenho.


Os experimentos foram realizados em colheitadeiras de cana-de-açúcar, demonstrando que a inovação tecnológica tem gerado benefícios tanto para o setor agrícola como para o meio ambiente. Os resultados geraram uma queda de 30% na frequência das mudanças de óleo dos motores Cursor 9 Mar-I/Tier3. No período da colheita, o número de mudanças de óleo diminuiu de sete para cinco (uma mudança a cada 500 horas de uso). No final dos testes, os motores foram desmontados, constatando-se que não houve impacto negativo em seu ciclo de vida.


Os resultados do estudo comprovaram que as colheitadeiras de cana-de-açúcar passaram mais tempo na plantação, aumentando sua eficiência e garantindo assim maior produtividade. Este reconhecimento chega três anos depois da marca ter recebido uma Menção Honrosa por estudo sobre "Desempenho e emissões de um motor que opera com baixa saída de hidrogênio". Um esforço constante ao longo dos anos que confirma a posição de liderança da FPT Industrial em seu setor de atividade, tendo sempre atenção à temática ambiental.